175 abuso sexual de menores (60 do padre Marcial Maciel): o relatório histórico dos Legionários de Cristo

Uma investigação dos Legionários de Cristo indica que os sacerdotes da congregação abusaram sexualmente de 175 menores. O fundador do grupo, Marcial Maciel, foi responsável pelo estupro de 60 menores, de acordo com os 78 anos de história dessa instituição católica.

Martial Maciel
Marcial Maciel foi fundador da Legião de Cristo em 1941.

O falecido padre Marcial Maciel, fundador dos Legionários de Cristo, abusou sexualmente de 60 menores, de acordo com um relatório revelado neste sábado pela congregação católica.

A organização indica que, desde a sua fundação em 1941 e até este ano, havia um total de 175 menores vítimas de estupro cometidas por 33 padres , incluindo Maciel.

A “grande maioria”, eles admitem, eram adolescentes de 11 a 16 anos.

Outros 90 estudantes foram abusados ​​por 54 seminaristas, 46 dos quais não foram ordenados padres, segundo uma pesquisa intitulada “Radiografia de oito décadas para erradicar o abuso”.

O documento é o primeiro relatório histórico em que os Legionários de Cristo reconheceram a magnitude do problema dentro dessa organização religiosa, atingida por escândalos nas últimas duas décadas.

Maciel morreu em 2008, depois de anos de escândalos por acusações de pedofilia, além da paternidade de pelo menos 4 crianças com várias mulheres.

“Tocamos com as mãos a dor que os abusos abriram nas vítimas, na Igreja e em nossa própria Congregação. Experimentamos que qualquer passo de abordar uma vítima é um passo essencial para a justiça na verdade”, relatório

“Iluminar o passado, por mais doloroso que seja, é uma libertação e fundamento essencial para a construção do futuro”, acrescenta ele.

Ele também lista uma série de medidas de prevenção, resposta e supervisão que os legionários de Cristo, segundo o documento, adotam desde 2014 para evitar novos casos de abuso sexual.

Papa Francisco
O Papa Francisco prometeu este ano que os responsáveis ​​pelos abusos e encobri-los serão levados à justiça.

Eles alegam que 45 das 175 vítimas receberam algum tipo de “reparação ou reconciliação”.

“A grande necessidade de continuar facilitando esse caminho para os outros persiste”, afirmou o documento.

“Cadeias de abuso”

A investigação interna indica que os 175 casos de abuso sexual são “acusações fundamentadas”, ou seja, casos em que não há dúvida de que ocorreram porque foram admitidos pelos indicados, porque um tribunal civil ou eclesiástico o determinou ou porque existem evidência “confiável”.

A investigação revela que houve um fenômeno de “cadeias de abuso” , como vítima de um legionário “ao longo dos anos, por sua vez, tornou-se um agressor, repetindo sobre outros o abuso que sofreu”, diz o relatório. .

“É emblemático que 111 dos menores abusados na Congregação tenham sido vítimas do padre Maciel, uma de suas vítimas ou vítima de suas vítimas “, explica ele.

Papa Bento XVI
O Papa João Paulo II e o Papa Bento XVI (foto) aprenderam sobre os escândalos dos Legionários de Cristo. Este pediu a Maciel sua aposentadoria em 2006.

Dos 33 sacerdotes responsáveis, seis morreram, oito deixaram o sacerdócio, um deixou a congregação e os outros 18 permanecem no grupo. O número de agressores representa 2,44% dos 1.353 religiosos encomendados em 78 anos, segundo a investigação.

Os que ainda atuam 14 não têm funções públicas, enquanto quatro o fazem de forma restrita, pois não realizam atividades com menores em escolas ou grupos de jovens.

Dos 33 padres responsáveis, 14 também foram vítimas de abuso sexual dentro dos Legionários de Cristo.

Além do padre Marcial Maciel e suas 60 vítimas, o documento detalha o tipo de responsabilidade (sem identificar os culpados) da seguinte maneira:

  • 11 abusaram entre 2 e 5 vítimas.
  • 5 cometeram abuso a 6 a 10 vítimas.
  • 1 padre abusou de 13 vítimas
  • 9 “repetidamente” abusou de uma única vítima.
  • 4 cometeu abuso apenas uma vez.
  • 2 via virtual (sexting).

Fonte: BBC World

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *