ALMT aprova exame para identificar atrofia muscular espinhal

Projeto de Lei foi aprovado em 1ª votação nesta quarta-feira

A Assembleia Legislativa Aprovou, Em 1ª Votação, O Projeto De Lei 90/2020, Que Torna Obrigatória A Realização De Exame Destinado A Identificar Atrofia Muscular Espinhal (AME), Na Triagem Neonatal Na Rede Pública E Privada De Saúde, Com Cobertura Do Sistema Único De Saúde (SUS). De Autoria Do Deputado Eduardo Botelho (DEM), Presidente Da ALMT, A Iniciativa Não Trará Nenhum Custo A Mais Para Os Cofres Públicos Podendo Salvar Vidas.

Em Tramitação Na Comissão De Saúde, Previdência E Assistência Social, O Projeto Ajudará No Diagnóstico Precoce Da Doença, Amenizando O Sofrimento Do Paciente, Com O Tratamento Adequado. Agora, O Projeto Segue Para Análise Da Comissão De Constituição, Justiça E Redação – CCJR, Antes Da 2ª Votação Em Plenário. A Proposta Tornará Mato Grosso Pioneiro Na Oferta Do Exame Que Pode Ser Feito Durante O ‘Teste Do Pezinho’.

Botelho Chama A Atenção Sobre A Importância Do Projeto E Cita O Ministério Da Saúde, Que Define A AME Como Doença Rara, Degenerativa, Passada De Pais Para Filhos E Que Interfere Na Capacidade Do Corpo De Produzir Uma Proteína Essencial Para A Sobrevivência Dos Neurônios Motores, Responsáveis Pelos Gestos Voluntários Vitais Simples Do Corpo, Como Respirar, Engolir E Se Mover.

Ressalta Que A Doença Varia Do Tipo 0 (Antes Do Nascimento) Ao 4 (Segunda Ou Terceira Década De Vida), Dependendo Do Grau De Comprometimento Dos Músculos E Da Idade Em Que Surgem Os Primeiros Sintomas. “Os Neurônios Motores Morrem Devido À Falta Da Proteína E Os Pacientes Vão, Pouco A Pouco, Sentindo Os Sinais E Sintomas Da Doença, Que Podem Levar À Morte”, Diz Trecho Do Projeto.

Os Principais Sinais E Sintomas Da AME São: Incapacidade Ou Dificuldade De Movimentos Como Locomoção, Engolir, Segurar A Cabeça E Respirar. Pacientes Com Diagnóstico Tipo 1 Podem Ser Tratados Com Medicamento Disponível Pelo SUS, Com Eficácia Na Interrupção Da Evolução Para Quadros Mais Graves.

“Muito Embora O Ministério Da Saúde Tenha Aprovado Um Protocolo Clínico E Diretrizes Terapêuticas Da Atrofia Muscular Espinhal, Entendo Que Pela Importância Do Tema A Questão Deve Ser Regulada, Para Garantir Segurança Jurídica Ao Paciente Que Enfrenta A AME”, Finaliza Botelho.Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *