ALMT vai criar CST permanente para debater pautas das associações do transporte de cargas

Empresários de Rondonópolis receberam Botelho e debateram a alta carga tributária e a equalização do ICMS

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso – ALMT vai criar uma Câmara Setorial Temática – CST permanente para debater sobre o associativismo, reunindo a sociedade organizada. O transporte de cargas é o elo entre as cadeias produtivas, pois engloba todos os setores como de produtores rurais, de supermercados, materiais de construção, entre outros.

A garantia foi dada pelo presidente da Casa de Leis, deputado Eduardo Botelho (União Brasil), durante reunião com empresários de Rondonópolis, nesta quinta-feira (02), no Hotel Confort, onde o deputado cumpriu parte da agenda do dia, para ouvir as entidades ligadas ao setor.

“Firmamos o compromisso com eles [empresários] de criar uma câmara setorial temática na Assembleia Legislativa, para ter discussão permanente sobre as pautas dessas associações, para que possam ter voz dentro da Assembleia Legislativa, possam levar e participar dos debates sobre os assuntos do setor e ter força para mudar leis, se necessário”, explicou Botelho.

Renato Del Cistia, presidente da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Rondonópolis – ACIR, classificou a pauta como muito positiva, por discutir vários temas importantes para Mato Grosso, especialmente, sobre o transporte na cadeia produtiva e sobre a necessidade da revisão da carga tributária.

“É nítido que o estado nunca arrecadou tanto e nunca teve tanto dinheiro em caixa. Então, chegou o momento de o governo do estado olhar diferente para toda a cadeia tributária. Está na hora de começar a pensar em diminuir imposto para não perder arrecadação. Porque o risco de Mato Grosso virar uma vitrine da internet é muito grande. Isso iria acabar prejudicando a arrecadação. Temos que pensar também que o aumento na arrecadação foi causado por um aumento de commodities e de preços. Então, até que ponto esse aumento de arrecadação foi crescimento e não só um inchaço da máquina, de dinheiro que entrou a mais e o risco de cair? Então, para tornar Mato Grosso competitivo pleiteamos isso com o deputado, que foi bem receptivo e já se comprometeu a levar essa pauta para o governador”, explicou Del Cistia.

Já Rafael Smozinski, presidente da Associação Nacional dos Agenciadores do Transporte de Cargas – ANATC, explicou a importância da contribuição da ANATC para o mercado brasileiro. A entidade foi fundada em Rondonópolis e já atua em âmbito nacional, contribuindo com o monitoramento sobre o agenciamento e transporte de cargas, inclusive, dando suporte ao governo federal.

“Colaboramos com a câmara temática de transporte terrestre, fazemos também um trabalho no Ministério de Infraestrutura. Então, queremos trazer esse trabalho da entidade em nível estadual, para aproximar e explicar ao estado onde estão os gargalos. Sabemos que a equalização do ICMS vai ser muito benéfica para nosso estado, por exemplo, tem posto na divisa de outros estados e os consumidores seguem para onde o produto é mais barato por causa do ICMS. O estado vai arrecadar mais, vai ter mais investimentos e queremos trazer essa realidade para que não fique apenas nos discursos”, exemplificou.

“Agradecemos a atenção do deputado por nos atender e ser muito receptivo”, finalizou o gerente-executivo da ANATC, Carley Welter.

“Estamos tentando estreitar essa comunicação entre o associativismo para diminuir essa lacuna que ainda é muito grande em vários setores. O deputado foi muito receptivo. Falamos bastante sobre impostos, nos principais segmentos como de energia e combustíveis, que tem impacto maior na sociedade”, afirmou Thiago Sperança, presidente do CDL de Rondonópolis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.