Após internação em RR, indígena de 15 anos morre

Alvanei Xrixana de 15 anos estava internado desde o dia 3 de abril em estado grave

O adolescente ianomâmi de 15 anos que contraiu coronavírus morreu na noite desta quinta-feira. A morte, a terceira entre os indígenas em decorrência da Covid-19, foi confirmada nesta sexta-feira pelo  Ministério da Saúde, por meio da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) e do Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) Yanomami. Ele estava internado no Hospital Geral de Roraima e de acordo com o atestado de óbito, Alvanei Xrixana foi vítima de Síndrome Respiratória Aguda Grave.

Ele deu entrada no Hospital Geral no dia 3 de abril, com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Seu primeiro teste havia dado negativo, porém teve o resultado confirmado na segunda testagem para Covid-19, na terça-feira. Ele estava internado na UTI.

Cinco profissionais de saúde que tiveram contato com o adolescente já estão em isolamento, assim como as pessoas que estiveram com eles. Para Aldeia Rehebe, destiino do adolescente após deixar o município de Alto Alegre por conta da suspensão das aulas, foram enviados 20 testes rápidos até o dia 10 de abril.

O Brasil já soma ao menos oito casos de coronavírus entre indígenas em três estados diferentes. Além dos registros de quatro familiares da etnia Kokama , em Santo Antônio do Içá, no Amazonas, outros três pacientes testaram positivo para a Covid-19. Uma delas, uma senhora borari de 87 anos, só teve o diagnóstico confirmado pela secretaria de Saúde do Pará, depois de ter sido sepultada, na vila de Alter do Chão, distrito de Santarém.

O outro indígena que morreu vítima do novo coronavírus, mas não foi notificado pela Sesai, é um senhor de 55 anos, da etnia Muru, em Manaus.

Fonte: O Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *