Avião para buscar 2 milhões de doses de vacina na Índia decola nesta quarta, diz Pazuello

As doses são da vacina de Oxford, importadas do laboratório Serum. Transporte do imunizante será feito pela Azul, que diz que o voo parte de Recife na quinta (14), às 23h, para buscar as vacinas.

Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello 09/06/2020 REUTERS/Adriano Machado: Foto: Reuters

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse que o avião para buscar as duas milhões de doses da vacina contra a Covid-19 do laboratório Serum decola nesta quarta-feira (13) para a Índia (veja vídeo acima). O imunizante é desenvolvido pela AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford.

No dia 2 de janeiro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou um pedido feito pela Fiocruz para importação das duas milhões de doses da vacina.

Segundo Pazuello, as doses devem chegar no Brasil no dia 16 de janeiro. “É o tempo de viajar, apanhar e trazer, já está com documento de importação pronto […]. Então quando nós tivermos a posição da Anvisa, temos material para distribuir e temos capacidade para vacinar no país todo”, disse.

A aérea Azul, que vai fazer o transporte das doses, informou após a declaração do ministro que o voo está programado para partir de Recife (PE) na quinta-feira (14), às 23h, com destino a Mumbai. A carga é estimada em 15 toneladas. Serão 15 horas de voo, com desembarque previsto no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, por volta das 15h.

A Fiocruz entregou na sexta-feira (8) o pedido de uso emergencial da vacina à Anvisa. Na terça (12), a agência disse que a reunião para definir a autorização emergencial das vacinas está prevista para domingo (17).

De acordo com o ministro, ainda em janeiro, a partir de liberação da Anvisa, o governo terá 8 milhões de doses de dois tipos de vacina contra a Covid-19 para vacinar a população. Serão 6 milhões de doses da CoronaVac, imunizante produzido pelo Butantan em parceria com o laboratório Sinovac, e essas duas milhões de doses da vacina de Oxford importadas da Índia.

Pazuello afirmou ainda que vai levar de 3 a 4 dias para iniciar a distribuição do imunizante ao estados após a aprovação da agência.

“A Anvisa vai se pronunciar no dia 17. Se se a Avisa se alongar, para o dia 21 ou 22, botem os números pra frente, mas é janeiro [que começa a vacinação]”, afirmou.

Visita a Manaus

ministro está desde o começo desta semana em Manaus (AM) para acompanhar as ações de enfretamento à nova onda da Covid-19 no estado. A média móvel de mortes no estado nos últimos sete dias subiu 217% no Amazonas – maior alta do país, segundo o consórcio de veículos de imprensa. Mais de 5,6 mil pessoas morreram vítima da doença no estado desde o início da pandemia.

Além disso, janeiro já é o mês com o maior número de novas internações por Covid-19 em unidades de saúde de Manaus. O número de novos pacientes internados na capital em apenas 12 dias já superou o total do mês de abril de 2020, que tinha o maior registro desde o início da pandemia.

O risco de colapso no sistema de saúde e funerário obrigou a prefeitura preparar novas áreas para enterrar as vítimas da doença em um dos cemitérios da capital e gavetas foram construídas para novos sepultamentos.

Gavetas serão usadas para receber mortos por Covid-19 em cemitério de Manaus — Foto: Reprodução
Gavetas serão usadas para receber mortos por Covid-19 em cemitério de Manaus — Foto: Reprodução

COMPARTILHE ESSA MATÉRIA:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *