Botelho lamenta morte de dona Amália Campos

Mãe de 10 filhos, dentre eles o senador Jayme Campos e o ex-governador Julio Campos

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), lamentou o falecimento de dona Amália Curvo de Campos, matriarca da tradicional família Campos, ocorrido nesta quarta-feira (10), vítima da Covid-19, aos 96 anos. ALMT vai encaminhar Moção de Pesar à família enlutada.

Mãe de 10 filhos, dentre eles o senador Jayme Campos (DEM) e o ex-governador Júlio Campos (DEM), além de 23 netos e 30 bisnetos, dona Amália era enfermeira e deixa um grande legado para Mato Grosso.  Fundou o primeiro Posto de Saúde de Várzea Grande e, durante 20 anos, presidiu a Sociedade de Proteção à Maternidade e Infância da cidade.

“Tive a oportunidade conviver com Dona Amália, sempre tão atenciosa com todos. É uma perda imensurável. Minhas condolências à família de tradição ímpar na política mato-grossense. Que Deus na sua infinita bondade conforte meus amigos dessa família que tanto admiro”, disse Botelho.

Dona Amália era viúva de Júlio Domingos de Campos, conhecido como Seo Fiote, que administrou Várzea Grande por duas vezes, nas décadas de 1950 e 1960. Ela participou ativamente da política mato-grossense, ajudando na fundação dos partidos PSD, ARENA, PFL e DEM.

COMPARTILHE ESSA MATÉRIA:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *