Botelho visita Gleba Resistência e debate regularização fundiária

Cento e vinte famílias aguardam pelo título definitivo há 25 anos

Receber o título definitivo de suas propriedades na Gleba Resistência, em Santo Antônio de Leverger é a principal reivindicação das 120 famílias assentadas há 25 anos no local. O assunto foi tema da reunião, realizada neste domingo (23), pelo primeiro-secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), que esteve na gleba e reafirmou o compromisso de viabilizar a regularização da área.

Com o documento em mãos, além de segurança jurídica, os pequenos produtores rurais poderão obter linhas de créditos e ampliar a produção da agricultura familiar, voltada à bacia leiteira e plantação de mandioca, conforme explicou a presidente da Associação dos Produtores Rurais da Gleba Resistência – Aproger, Joelsa Marães. Ao informar que em 1997 as primeiras famílias foram assentadas no local, e que por isso o apoio de Botelho reascende a esperança dos assentados. “É um privilégio para toda comunidade a presença do deputado Botelho aqui. Esperamos que ele intermedeie junto ao governo uma solução. A maioria dos parceleiros trabalha com a agricultura familiar”.

Emocionados, moradores reivindicaram o documento e disseram que muitos companheiros perderam a vida sem realizar o sonho do título definitivo. Trabalharam muito, onde era só mato, desbravaram e produziram. “O processo de regularização vem girando há muitos anos e sofremos ao ouvir falar dos riscos de perder a terra, de sermos despejados. Tenho certeza de que hoje, com essa reunião, será um marco nas nossas vidas e seremos eternamente agradecidos ao deputado Botelho”, disse o vice-presidente da Aproger, Sena.

“Sempre participei das reuniões, mas nunca me senti tão amparado como hoje!”, agradeceu o pequeno produtor Dartanham Ferreira da Costa, ao reafirmar a necessidade de linhas de crédito para investir na terra.

O mesmo sentimento foi manifestado pelo casal Vera Lúcia Santos e Aguinaldo Santos, pequenos produtores de leite e seus derivados. “Esse título vai ser uma benção. Estamos há muito tempo esperando. Poderemos trabalhar na terra e conseguir financiamentos”, disse Santos.

O ex-vereador por Santo Antônio de Leverger, Dudu Moreira, destacou a união entre as famílias assentadas. “Merecem todo apoio, pois é uma comunidade diferenciada, unida. Trabalhamos para realizar o sonho da regularização fundiária resolvida”.

Com vasta experiência no setor, Euclides Santos, informou que a regularização avança em Mato Grosso. E tranquilizou as famílias garantindo que o processo da Gleba Resistência será resolvido com apoio de Botelho.

Durante a reunião, Botelho destacou a luta em defesa agricultura familiar e regularização fundiária, especialmente, por conhecer as dificuldades e relatou a vivência da época em que ajudava o pai na lavoura. “Essas famílias não invadiram a área. Elas foram colocadas aqui pelo governo há 25 anos e até hoje não receberam o título das propriedades. Estão sendo ameaçadas de despejo, têm pessoas que venderam tudo que tinham e investiram aqui. Então, estamos encampando essa luta junto com elas, junto ao Intermat, junto ao governo para que ajudem a regularizar essa situação para que recebam o documento. É por isso que vamos lutar e tenho certeza que vamos conseguir”, garantiu Botelho.

Próximo passo será destravar a questão judicial da área para acelerar a regulamentação junto ao Intermat. “Temos que valorizar essas pessoas que estão aqui produzindo”, concluiu o parlamentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *