Brasil registra 346 mortes em 24h e óbitos chegam a 4.016; casos somam 58.509

Aumento de 5.514 novos pacientes em 24 horas indica tendência de aceleração da doença no país; com 346 mortes desde sexta-feira, total chega a 4.016

O número de mortes decorrentes do novo coronavírus chegou a 4.016 neste sábado, após três dias com altos registros de óbitos. Desde quinta-feira, foram notificadas 1.110 mortes, o que representa mais de um quarto do total registrado até o momento. Na quinta-feira foram 407 óbitos, seguido por 357 na sexta e mais 346 hoje.

De acordo com o balanço do Ministério da Saúde divulgado neste sábado, o Brasil tem 58.509 pessoas infectadas atualmente. Comparado com os número de ontem, houve um crescimento de 10,4%, com 5.514 registros de doentes de ontem para hoje, um recorde até o momento. No último balanço do governo, na sexta-feira, o total de contaminados era de 52.995, com 3.670 mortes.

Esse crescimento não significa que ocorreram mais mortes e infecções de sexta para sábado, mas sim que foram notificados ao Ministério da Saúde para serem contabilizados no informe diário da pasta.

São Paulo continua como o estado com o maior número de casos: são 20.004. Em seguida vem Rio de Janeiro (6.828), Ceará (5.421), Pernambuco (4.507) e Amazonas (3.635). Em relação às mortes, São Paulo também lidera, com 1.667. Depois vem Rio de Janeiro (615), Pernambuco (381), Ceará (310) e Amazonas (287).

Ao todo, 14 estados já registram mais de mil pessoas diagnosticados até o momento. Somam-se aos cinco mencionados acima, Bahia, Maranhão, Pará, Minas Gerais, Espírito Santo, Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul e o Distrito Federal, que até ontem não tinha ultrapassado a marca.

Quando comparadas as regiões, o Sudeste concentra a metade das infecções até o momento, com 26.908 casos da Covid-19. Nordeste aparece em segundo lugar, com 14.665 casos, seguido por Norte (6.144), Sul (3.350) e Centro-Oestes (1.928).

O Ministério da Saúde informou ainda que 50% dos infectados com o novo coronavírus, ou seja, 29.160 pessoas, estão recuperados. Do restante, 43% está em acompanhamento e 7% morreram. Há ainda 1.312 óbitos em investigação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *