China tem 723 mortes por coronavírus e mais de 34 mil casos confirmados

No Brasil, há 8 casos suspeitos; nenhum foi confirmado.

Coronavírus: Homem e criança com máscaras faciais em meio às lanternas vermelhas do Ditan Park, no Festival das Lanternas, que marca o fim das comemorações do Ano Novo Lunar na China, em Pequim. — Foto: Stringer/Reuters

A China tem 723 mortes por coronavírus e 34.598 casos confirmados, de acordo com o balanço do governo Chinês divulgado na mídia local neste sábado (8). Ao menos 2.050 pessoas já se recuperaram do vírus.

Na província de Hubei, epicentro da epidemia na China, 81 pessoas morreram com o coronavírus.

Um grupo de brasileiros já saiu da China e está a caminho do Brasil. A previsão da Força Aérea Brasileira (FAB) é de que eles cheguem a Anápolis (GO) até a madrugada de domingo (9), onde ficarão em quarentena.

Confira a situação até as 7h30 deste sábado (8):

723 mortes por coronavírus na China
1 morte nas Filipinas
34.598 casos confirmados na China
2.050 infectados já se recuperaram na China
Mais de 270 casos confirmados em outros 24 países
No Brasil, há 8 casos suspeitos e nenhum confirmado até as 15h30 desta sexta (7)
Aviões brasileiros deixam Wuhan com 40 passageiros repatriados
Pangolim, mamífero em extinção, pode ser possível hospedeiro intermediário do coronavírus
Taxa de mortalidade
De acordo com a China Central Television (CCTV), a taxa de mortalidade caiu para 2% no país desde quinta-feira (6). Na província de Hubei (exceto Wuhan), a taxa é agora de 1,3%. Na cidade de Wuhan, epicentro do surto, a taxa foi para 4,1%. Segundo a emissora estatal, o declínio na província e na cidade está relacionado à chegada de mais equipes médicas.

Medicamentos passam em teste
Cientistas de Wuhan, na China, publicaram na revista “Nature” os resultados de testes com substâncias contra o novo coronavírus 2019-nCoV. Duas drogas conseguiram controlar a infecção: uma delas é um antiviral com mais de 70 anos; a outra está no radar do governo chinês para estudos em humanos e passa também por testes contra o Ebola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *