Comércio várzea-grandense ultrapassa saldo de empregos em relação a Cuiabá

Em Várzea Grande, segundo os Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), divulgados pelo Ministério da Economia, o município teve em 2020, cerca de 21.612 admissões, contra 19.442 desligamentos, o saldo é positivo em 2.170 vagas de empregos.

Se comparar com Cuiabá no saldo de empregos acumulados no ano, Várzea Grande saiu na frente, pois na Capital o saldo é de apenas 7 empregos, 71.316 admissões contra 71.309 desligamentos.

Em Várzea Grande, o comércio foi responsável pela contratação de 9.243 colaboradores, e teve 8.446 demissões.

Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Várzea Grande, David Pintor, o cenário é positivo devido à crise enfrentada em decorrência da Covid-19.

“A previsão não era boa em relação ao futuro econômico do comércio, quando começou a pandemia, e o isolamento social foi imposto, mas os números positivos trouxeram alívio para todos.”

Somente em dezembro foram feitas 1.686 admissões e 1.430 demissões, resultando no saldo  de 256 empregos, já em novembro foram 2.060 contratações, e 1.433 desligamentos, totalizando 627 empregos com carteira assinada.

Os dados também mostram que Várzea Grande encerrou o mês de outubro com 2.147 admissões contra 1.681 desligamentos, o que resultou num saldo positivo de 466 postos de trabalho.

Em setembro os números também foram positivos com 1.926 admissões contra 1.544 desligamentos,  o que trouxe um saldo de 382 postos de trabalhos.

O mês de agosto fechou com 361 novos empregos, pois tivemos  1.863 admissões  contra 1.502 desligamentos.

Os dois meses anteriores: junho e julho, também tiveram números favoráveis num período em que a economia começava a superar o momento mais crítico da pandemia de Covid-19.

Respectivamente, os saldos de empregos foram de 463 e 85 vagas criadas, já descontados os desligamentos registrados em cada mês.

Em maio as contratações foram 1.354, e demissões, 1439,  o saldo foi negativo -85, o mês mais critico foi em abril, onde o saldo foi negativo, – 838, devido ao número de demissões, 1.678 ser maior que contratações, 840.

No primeiro trimestre do ano (janeiro, fevereiro e março) o número de contratações foi respectivamente de 1.884, 2.143 e 2.164, as demissões foram de 1.882, 1.877, e 2.038, seguindo a mesma ordem.

Em janeiro o salde de empregos foi de 02 vagas, em fevereiro 266, e em março de 126.

Em Mato Grosso, conforme os números do Novo Caged, o acumulado dos 12 meses foi de 353.057, contra 331.087 demissões.

COMPARTILHE ESSA MATÉRIA:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *