Cuba vai testar no Irã sua candidata a vacina contra a Covid-19 em estágio mais avançado

Assinatura do acordo referente à Soberana 02 foi assinado neste sábado (9) e coincidiu com post do líder supremo iraniano, Ali Khamenei, no qual ele disse que considerava impossível confiar nas vacinas americanas e britânicas. Mensagem foi depois excluída de rede social por violar regras.

Cuba, que espera imunizar toda a sua população neste ano com a Soberana 02 (projeto de vacina contra a Covid-19 mais avançado no país), vai fazer testes no Irã, anunciou neste sábado (9) o centro científico que desenvolveu o imunizante.

O estatal Instituto Finlay de Vacinas (IFV) e o Instituto Pasteur do Irã assinaram um acordo em Havana que permitirá “completar as evidências clínicas da vacina candidata Soberana 02” e “avançar mais rápido na imunização contra a Covid-19 em ambos os países”, anunciou o centro científico cubano em uma rede social.

A assinatura do acordo coincidiu com um post do líder supremo iraniano, Ali Khamenei, no qual disse que considerava impossível confiar nas vacinas americanas e britânicas.

“É proibido importar vacinas feitas nos Estados Unidos ou no Reino Unido. Não podemos confiar neles”, alertou Khamenei em mensagem que foi posteriormente apagada pelo Twitter – a rede social considerou que houve violação de suas regras.

A Soberana 02 é o mais avançado dos projetos de vacina contra o coronavírus em que os cientistas do IFV trabalham, superando a Soberana 01.

Os dois imunizantes são confiáveis em termos de segurança e resposta imunitária, mas “a Soberana 02 especificamente, pelas suas características, tem apresentado uma resposta imunitária precoce [aos 14 dias]”, explicou em dezembro o diretor do IFV, Vicente Vérez, ao anunciar o início da fase 2 do ensaio clínico.

Vérez destacou que negociações para desenvolver a fase 3 do ensaio clínico da Soberana 02 em outros países avançaram, devido à baixa prevalência de Covid-19 na população cubana, e anunciou que Cuba estaria em condições de imunizar toda sua população com sua própria vacina no primeiro semestre de 2021.

O Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia também trabalha em duas outras vacinas , batizadas de Mambisa e Abdala.

Cientistas cubanos têm experiência na obtenção e fabricação de vacinas. O programa nacional de vacinação infantil conta com 11 vacinas contra 13 doenças, das quais oito são fabricadas na ilha.

Embora enfrente atualmente um surto de casos com a abertura de fronteiras, Cuba, com 11,2 milhões de habitantes, mantém a pandemia sob controle, com 14.188 casos, 148 mortes e 11.682 recuperados, cifras inferiores às de seus vizinhos na região.

COMPARTILHE ESSA MATÉRIA:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *