Deputados intermedeiam negociações para colocar fim à greve dos professores

Botelho também acredita que crise econômica deverá perdurar no segundo semestre

Acompanhado da vice-presidente, deputada Janaina Riva (MDB), o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), esteve na manhã desta quarta-feira (19) em reunião com o governador Mauro Mendes para tratar sobre a greve dos professores da rede pública estadual. Paralelamente, uma comissão formada por deputados e representantes do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público – Sintep se reuniu com membros do Ministério Público Estadual – MPE na tentativa de avançar nas negociações.

Botelho e Janaina falaram com o governo sobre a importância de se apresentar uma proposta para os professores. “Mas, ele [governador] se mostrou muito chateado, até triste, angustiado porque acha que não tem margem para fazer proposta que não poderá cumprir lá na frente. Porém, ficou de analisar novamente com a equipe econômica, para ver se consegue pelo menos uma proposta paliativa para encaminhá-la, mas não garantiu. Primeiro porque não quer jogar a conta para outros governos e segundo para não fazer uma proposta que daqui a pouco não conseguirá cumprir”, esclareceu o presidente durante entrevista à imprensa, no Salão Negro da ALMT.

Conforme Botelho, que também se reuniu com os deputados e membros do Sintep no início da tarde de hoje, é importante o empenho de todos para que às aulas sejam retomadas. Ressaltou que a expectativa é muito grande para que os professores entendam o momento de crise econômica que assola todo o país e encerrem a greve.

“Momento em que estamos tentando recuperar a economia, tentando fazer as engrenagens andar. Então, é importante que todos estejam trabalhando. Mas, por enquanto não tem nenhuma garantia. A princípio o governador está se mostrando muito angustiado. É a história do cheque sem fundo. Foi exatamente o termo que o governador usou: não vou dar um cheque sem fundos aos professores que é uma esperança que não vou ter como cumprir. Então, aguardamos que haja o bom senso para que entendam o momento muito difícil e voltem às aulas”, afirmou o presidente, ao garantir que a Assembleia continuará nas discussões até chegar ao consenso que coloque fim à greve.

Para ele, o MPE pode participar das negociações, porém a questão econômica deixa claro que o problema é falta de recursos financeiros. Botelho também acredita que essa dificuldade econômica deverá perdurar no segundo semestre. “Ainda vai levar um tempo para o estado sair da crise financeira que está que é gastar mais do que arrecada”, concluiu.

Fotos: Mauricio Barbant / ALMT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *