Deputados intervém e estudantes das comunidades de Leverger terão transporte escolar

Atualmente, alunos precisam percorrer até 120 km para chegar à escola no município vizinho, em Juscimeira

Em atendimento aos pais de alunos da comunidade Lambari e de outras circunvizinhas, de Santo Antônio de Leverger, os deputados Eduardo Botelho (União Brasil), presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso – ALMT e o deputado Alan Kardec (PSB) intercederam, junto à Secretaria Estadual de Educação, para solucionar a falta de transporte escolar na região.

Acompanhados do vereador por Santo Antônio de Leverger, Dudu Moreira, eles entregaram um abaixo-assinado aos deputados pedindo a criação da linha do transporte escolar para atender as comunidades Lambari, Pau D´Alho, Porto Pinto e moradores das fazendas Estrela, Baía do Pacu, Vitória, Esperança e Mutum.

Ficou definido que será liberado o transporte, num percurso de aproximadamente 28 quilômetros, da comunidade até a Escola Municipal Bainho, na Baía São João, aberta como sala anexa da Escola Estadual Santa Claudina, de Mimoso, para atender esses estudantes. Também que a Prefeitura Municipal de Santo Antônio de Leverger assumirá a responsabilidade desse transporte, após a aquisição de ônibus escolares.

Os encaminhamentos foram feitos durante reunião com os pais, nesta terça-feira (24), na Presidência da ALMT. Momento em que relataram a angústia que vivem para que seus filhos frequentem a escola, muitos percorrem até 120 quilômetros para estudar em São Lourenço de Fátima, em Juscimeira, escola mais próxima da região. Para se ter uma ideia, a comunidade Lambari está distante do centro de Leverger a 185 quilômetros e a 100 quilômetros de Mimoso.

Com a abertura da escola anexa, os moradores reascenderam as esperanças de ter os filhos estudando mais próximos de suas casas. Alguns até deixaram os filhos com parentes em outras cidades para garantir o estudo. É o caso da professora do EJA, Edileia Moraes de Oliveira, moradora da Comunidade Pau D´Alho, ela luta para ter a filha adolescente novamente em casa.

“Minha filha estava matriculada na escola de Juscimeira, mas ficou duas semanas sem transporte para chegar nessa escola longe de casa 80 quilômetros. Como mãe, achei desumano minha filha passar por isso. Assim, resolvi manda-la estudar em Rondonópolis. Agora, que abriu a sala anexa na Baía São João, vi como oportunidade para trazer minha filha de volta pra casa. Mas, precisamos resolver o impasse do transporte escolar. Hoje estamos aqui como mãe pedindo nosso direito de deixar nossos filhos estudarem próximos de casa. Será mais proveitoso para eles”, disse Edileia.

Wanderley Almeida, autônomo, é morador de Porto Pinto e conhece bem as dificuldades da região, pois já trabalhou como motorista do transporte escolar. Chamou a atenção para a má qualidade dos poucos ônibus disponíveis e acesso dos dois filhos ao núcleo escolar. “Nossos filhos estão matriculados na escola mais próxima, mas não temos transporte escolar. É preciso que nos ajudem a resolver esse impasse”.

“Estão com problema no transporte para alunos que percorrem longas distâncias, tem uns que precisam sair de casa 3 horas da manhã. Já falamos com o secretário [Alan Porto], que já está viabilizando ônibus pra lá e já fizemos a negociação com a prefeitura, que vai assumir o transporte escolar, vai melhorar muito. Tenho certeza que vai resolver e terão que percorrer trajeto bem menor, de até 28 quilômetros, e a escola poderá atender com qualidade”, esclareceu Botelho.

Conhecedor da situação, o deputado Alan Kardec coordenou o setor em 2007. Ressaltou a logística como o grande entrave. Contudo, destacou o empenho da prefeitura em resolver a questão.

“A sala anexa vai resolver grande parte da situação da distância dos nossos jovens que estão morando na zona rural. Agora, precisamos efetivar essa linha como rota do transporte escolar estadual. Passo seguinte, é ampliar essa escola da Baia São João e receber os ônibus. Então, a Assembleia Legislativa já trabalha para que a cidade tenha frota suficiente e nova para resolver o problema. A Educação passa por dois itens: acesso, que se dá pelo transporte escolar e a permanência, que se dá pela boa merenda”, finalizou Kardec.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.