DESIGUALDADE: Max Russi pede ações mais efetivas no Social em 2020

Propostas de deputado incluem atendimento efetivo
às famílias em situação de vulnerabilidade, associações que atendem pessoas com necessidades especiais e comunidades filantrópicas.

A destinação específica de recursos e uma atenção especial, na construção de políticas públicas para fins Sociais em Mato Grosso, também foram cobranças do deputado Max Russi (PSB) ao governador Mauro Mendes (DEM), durante a sessão que apresentou o balanço das ações de 2019 do Executivo Estadual, na Assembleia Legislativa.

O parlamentar sugeriu a elaboração de um planejamento anual, que torne a aplicação de ações mais efetiva no tratamento de dependentes químicos, assim como o incentivo às casas de recuperação e comunidades terapêuticas.  

“Gostaria que esse tema fosse colocado como prioridade em seu governo, porque é algo que afeta todas as famílias. É difícil uma família que não tenha problemas de drogas ou alcoolismo dentro de casa. E eu conheço isso muito bem”, argumentou.

Outro ponto, defendido pelo deputado Max Russi, é quanto ao incentivo financeiro às associações, que atendem pessoas com necessidades especiais, bem como a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e a Pestalozzi, no que tange a atendimentos terapêuticos.

“Em outros estados conseguem cadastrar e a Apae e Pestalozzi receberem pelos atendimentos que fazem: Equoterapia; Atendimento de fonoaudiólogo. Se a Saúde liberar isso, se consegue ajudar as Apaes, as Pestalozzis e nós conseguimos buscar esses recursos no governo federal”, exemplificou.

No ano passado, Max Russi foi autor da Emenda nº 4, ao Projeto de Lei 559/2019 do Executivo. Com a nova redação ao Artigo 3, a Lei nº 10.932/2019, já em vigor, que institui o Fundo de Apoio às Ações Sociais de Mato Grosso – FUS/MT, agora prevê que a autônima da receita fique a cargo da Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc).

Russi argumenta que o estado possui mais de 100 mil famílias em situação extrema de pobreza e que essa desigualdade dever ser combatida. Tendo em seu histórico político a experiência de ter sido gestor da Secretaria de Trabalho e Assistência Social e propulsor do Pró-Família, programa social que levou atendimento a 23 mil famílias em MT, o deputado ainda se propôs a contribuir com as novas medidas sociais.

“O senhor falou que temos orgulho de sermos campeões do Agronegócio. E temos que ter esse orgulho mesmo. Mas eu quero também que o senhor conclua o seu governo, e eu quero ajudar nisso, que também nós possamos combater a desigualdade do nosso estado, diminuir a extrema pobreza”, reforçou.

O governador Mauro Mendes mencionou que foram aprovadas leis, que destinam fundos específicos ao Social e garantiu que em 2020 a pasta terá atenção especial, por parte do governo estadual. Mendes analisa ainda a busca de parceiras na inciativa privada e instituições religiosas, que desenvolvam esses trabalhos específicos.

“Aprovamos uma lei que vai dedicar recursos específicos ao Fundo Social. Esses recursos nós já estamos estuando a melhor forma de dar capilaridade, de fazer com que esse recurso chegue na ponta”, assegurou.

 Max Russi acredita que a injeção segmentada dos valores criará mecanismos mais efetivos no combate a desigualdade em Mato Grosso. “Se direcionarmos os recursos de forma completa e nos dedicarmos a um planejamento mais específico, que chegue lá na ponta, até quem realmente precisa, poderemos dar um avanço eficaz na correção das distorções sociais em nosso estado”, analisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *