Diego Guimarães se filia ao Cidadania

O vereador Diego Guimarães se filiou ao Cidadania. A troca de partido ocorreu após muito diálogo com sua base eleitoral e familiares. Com isso, o partido ganha mais um vereador na Câmara de Municipal de Cuiabá e deve ter candidato a prefeito nas eleições de outubro deste ano.

“O Cidadania surgiu de uma necessidade nossa de manter a coerência uma vez que tentamos pautar nosso mandato pela coerência de nossas atitudes. Esse é um partido que foi refundado e nessa reformulação buscou apoiar as políticas liberais para a economia, políticas públicas de crescimento do país, tudo, sem abandonar a necessidade da política social”, ressaltou o vereador.

Em setembro de 2019 o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou a mudança do nome do Partido Popular Socialista (PPS) para Cidadania, sem sigla ou denominação abreviada. Junto da mudança do nome, o estatuto do partido foi reformulado. Assim como está previsto no estatuto do novo partido, Guimarães reafirma sua posição em favor do estado democrático.

 Ao fazer parte da legenda, ele defende também, assim como em todo seu mandato, o aumento da transparência, da participação popular e da maior responsabilidade política de eleitores e mandatários, por meio de um processo de reformas políticas.  

Diego ingressou no Progressistas em 2016 quando concorreu ao cargo de vereador e foi eleito com 3.183 votos. Advogado e professor universitário, hoje o parlamentar mantém uma postura de oposição a atual gestão municipal o que diverge com os outros membros do partido.

“Saio do Progressistas devido a forma como o partido vem tratando os caminhos a serem seguidos neste ano eleitoral. Fui totalmente excluído dos debates internos do partido por emitir minha opinião e discordar de meia dúzia que lideram a legenda e também da atual administração municipal. Devido a isso precisei buscar novos ares e o partido que eu encontrei maior aproximação e aderência de como pensamos política é o Cidadania”, ressaltou o Diego.

A troca de partido do vereador está respaldada pela Reforma Eleitoral de 2015 (Lei nº 13.165/2015), que garantiu aos detentores de mandato eletivo em cargos proporcionais a possibilidade de trocar de partido nos 30 dias anteriores ao último prazo para filiação, que termina no próximo dia 3 de abril. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *