Em 30 dias, 106 pessoas são presas por embriaguez ao volante durante operações de fiscalização

Os flagrantes ocorreram nas 34 operações realizadas pelas forças de Segurança Pública em Cuiabá, Várzea Grande e Sorriso

Uma conduta recorrente vem se destacando durante as ações de fiscalização de trânsito: motoristas flagrados conduzindo veículos sob influência de álcool. Somente no mês de julho, 106 pessoas foram presas por embriaguez ao volante durante as 34 operações de fiscalização de trânsito realizadas pelo Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran-MT) em parceria com as demais forças de Segurança Pública do Estado. As operações ocorreram nos municípios de Cuiabá, Várzea Grande e Sorriso.

No momento do teste do bafômetro, o condutor que apresenta índice de álcool no sangue superior a 0,33 miligramas por litro de ar expelido é preso, deve pagar multa no valor de R$ 2.934,70, tem a CNH suspensa, além de responder por crime.

“Dirigir sob efeito de álcool é uma conduta grave, causadora de muitos acidentes com mortes ou sequelas. O trânsito exige responsabilidade e cada um precisa fazer a sua parte”, observou a gerente de Fiscalização de Trânsito do Detran-MT, Kelli Lopes Felix.  

Durante as operações do mês de julho foram fiscalizados 2.560 veículos, 1.013 veículos foram autuados e 622 removidos. Também foram realizados 1.066 testes de alcoolemia e 1.484 Autos de Infração de Trânsito confeccionados, sendo 216 por conduzir veículo sob efeito de álcool, crime previsto no artigo 165 do Código de Trânsito Brasileiro. 

Os flagrantes de pessoas conduzindo veículos sem possuir a CNH também continuam. Foram autuados 310 motoristas inabilitados. Essa é uma infração de trânsito com penalidade de natureza gravíssima no valor de R$ 880,41, prevista no artigo 162, I do Código de Trânsito Brasileiro.

“O trabalho do Detran junto às demais forças de segurança pública é em prol de um trânsito mais seguro para todos. Estamos empenhados diariamente nas ruas realizando ações fiscalizatórias, educativas e preventivas que ajudam a salvar vidas”, completou Kelli.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *