Espanha registra recordes 832 mortes em 24 horas; Alemanha prorroga quarentena até ao menos 20 de abril

Militares usam equipamento de segurança para limpar hospital em Barcelona Foto: JOSEP LAGO / AFP

Pelo segundo dia consecutivo, a Espanha teve um número recorde de mortes, chegando a 832 vítimas — 63 a mais que as registradas nas 24 horas anteriores. O numero diário é o segundo maior contabilizados no mundo, atrás apenas das 919 mortes registradas na sexta pela Itália, país europeu mais afetado pela crise sanitária. Em paralelo, a chanceler alemã Angela Merkel, cuja resposta à pandemia do novo coronavírus vem sendo elogiada, agradeceu os alemães por respeitarem as medidas de precaução, em meio ao anúncio de que a quarentena no país será prorrogada ao menos até o dia 20 de abril.

Apesar da alta cifra registrada neste sábado, os indícios são de que a crise de saúde pública na Espanha vem se aproximando de seu pico: o aumento no número de mortes nas últimas 24 horas foi de 12,7%, em comparação com 14% na sexta-feira e 18% na quinta. Devido ao período de incubação da doença e a evolução dos sintomas, o governo espanhol espera que o pico de internações em UTIs ocorra na semana que vem e que, a partir daí, o número de mortos comece a registrar quedas absolutas.

No total, o número de óbitos na Espanha chegou a 5.690, com 72.248 infecções desde que pandemia começou. Em seu boletim diário, a força-tarefa do governo espanhol de combate ao coronavírus anunciou que 40.630 pessoas no país precisaram de hospitalização, 4.575 das quais estão em unidades de terapia intensiva. O número de curados, segundo Madri, é 12.285 — entre quinta e sexta-feira, eram apenas 9.357, uma forte alta de 31,3% em 24 horas.

O número absoluto dos casos confirmados nas últimas 24 horas, também voltou a crescer: na sexta-feira, foram 7.921 e, neste sábado, 8.189. As novas infecções registradas neste sábado, no entanto, são inferiores às vistas há 48 horas, quando o número de casos diários chegou a 8.578.PUBLICIDADE

As regiões mais afetadas são Madri, com 2.757 mortos, quase metade do total, e Catalunha, com 1.070 vítimas fatais. A taxa de mortalidade na capital é tamanha que a partir de segunda-feira a cidade habilitará um segundo necrotério em uma instalação pública que estava abandonada. O governo local já havia instalado um necrotério em uma pista de patinação de um centro comercial.

Com a grande quantidade de casos na Itália e na Espanha, que, juntos, somam mais de 72 mil casos, a Europa continua a ser o novo epicentro da pandemia de Covid-19 ao lado dos Estados Unidos, o país mais afetado pela doença no mundo, com quase 105 mil infectados.

Alemanha prorroga quarentena

A Alemanha, por sua vez, é um dos países europeus mais elogiados por sua resposta à Covid-19. Segundo um virologista que faz parte da força-tarefa de Berlim para combater o vírus, o país vem realizando cerca de 500 mil testes para a doença por semana, algo que explica a baixa mortalidade: no total, há mais de 53,3 mil casos confirmados no país, com 395 mortes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *