Ex-Policial é preso acusado de mandar matar jovem que teve relacionamento amorosa com sua esposa

Três pessoas envolvidas no homicídio que vitimou um adolescente no ano de 2016, na Capital, tiveram mandados de prisão cumpridos pela Polícia Judiciária Civil, na quarta-feira (18.11), em trabalho realizado pela Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP).

Apontado como mandante do crime, o ex-policial militar, Pablo de Oliveira, teve a ordem de prisão cumprida na Cadeia Pública da Santo Antonio do Leverger (34 km a Leste da Capital), onde já estava detido.

Os outros dois presos, Ednei Duarte (executor), Olivino Corandi (Contratante), foram presos por força de mandado de prisão temporária na cidade de Nova Mutum (264 km ao Norte de Cuiabá).. Um quarto suspeito também teve a participação identificada no crime, confirmando as informações levantadas durante as investigações.

O homicídio ocorreu no dia 29 de novembro de 2016, em uma oficina no bairro Verdão, em Cuiabá. A vítima menor, E.I., 17 anos, namorava com uma mulher que era casada e estava em fase de separação do marido.

Ao descobrir a traição, Pablo, planejou o crime e para isso contou com apoio do seu primo de Nova Mutum (Olivino) que ajudou na contratação do executor (Ednei). Os suspeitos vieram duas vezes a Cuiabá, a primeira para monitorar a vítima e a segunda para quando praticaram o homicídio.

Segundo o delegado responsável pelas investigações, Caio Fernando Alvares de Albuquerque, para praticar o crime, os suspeitos retiram o HD que gravavam as imagens das câmeras de segurança. “Sabendo que não seria gravado, o executor pode praticar o crime às 07 horas da manhã, em bairro movimentado da Capital”, disse o delegado.

Diante das evidências, a equipe da DHPP se deslocou até Nova Mutum para dar cumprimento aos mandados contra os suspeitos Ednei e Olivino. Durante a abordagem policial, Edinei (considerado de alta periculosidade), tentou reagir a prisão, sendo necessário contar a injusta agressão para efetuar a prisão do suspeito.

Com o suspeito, Olivino, os policiais verificaram que ele portava uma cédula falsa de escrivão de polícia, sendo também autuado em flagrante por uso de documento falso. Na residência do suspeito, também foram encontradas quatro armas de fogo, que não são as utilizadas no crime, mas que foram apreendidas para verificação.

Os dois suspeitos foram ouvidos pelo delegado, Caio Fernando, na manhã desta quinta-feira (19), e posteriormente encaminhados para audiência de custódia em Nova Mutum.

A prisão dos suspeitos com apoio da Diretoria de Inteligência e Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Nova Mutum.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *