Falta de medicamentos para UTI agrava em MT e senador volta a cobrar o Governo

Até o momento, segundo relatos médicos, a situação segue crítica nos hospitais e entre pacientes com Covid-19

A falta de medicamentos essenciais para uso em pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é um grave problema que voltou a ser questionado pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT) junto ao Ministério da Saúde. Membro da Comissão Especial da Covid-19, instituída pelo Congresso Nacional para acompanhar a situação fiscal e a execução orçamentária e financeira das medidas relacionadas ao coronavírus, Fagundes pediu ao ministro interino Eduardo Pazuello medidas que possam evitar o colapso no sistema.

Fagundes foi um dos primeiros a alertar para o risco da ausência de medicamentos essenciais nas UTIs. Entre os medicamentos essenciais em falta, está o relaxante muscular, usado em pacientes entubados. Durante sessão remota do Senado, ele solicitou ao ministro da Saúde que fossem adotadas medidas para garantir a regularização do estoque de remédios.

Até o momento, no entanto, pelos relatos médicos, a situação segue crítica. Neste final de semana, em entrevista a uma emissora de rádio da Capital, o médico infectologista Abdon Salam Khaled Karhawl admitiu que Mato Grosso padece com a falta de medicamentos para tratar pacientes internados em estado grave com a Covid-19. A ponto de o Conselho Regional de Medicina recomendar que os hospitais privados suspendesse a  realização de cirurgias eletivas de modo a não agravar ainda mais a situação.    

“Já pedimos informações e acreditamos que haverá uma solução” – disse Fagundes, ao destacar a atenção do Ministério da Saúde com as demandas de Mato Grosso. Wellington defendeu, emergencialmente, que o Governo Federal assuma a regulagem dos estoques de medicamentos.

De acordo com o senador do PL, há um esforço de todos os parlamentares da bancada federal para garantir o máximo de equipamentos e medicamentos para o enfrentamento do grave quadro de saúde pública que o Estado está enfrentando neste momento, com o agravamento dos casos de Covid-19. Exemplo é a liberação de respiradores, que deverão atender vários municípios do Estado e também a própria Capital.

Falta de Crédito – A dificuldade de microempreendedores para ter acesso ao crédito durante a pandemia de coronavírus é tema de audiência pública da comissão mista que analisa as ações do governo federal no enfrentamento da covid-19. A reunião remota está marcada para esta terça-feira (7), às 10h.

A videoconferência deve contar com representantes de empreendedores, cooperativas, empresas de crédito, bancos públicos e órgãos do governo. “Essa é uma questão que já passou do tempo de ter uma solução. O trabalhador brasileiro não pode ser penalizado por essa situação” – disse o senador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *