Homem que estuprou mulher ao sair da igreja é preso em Campo Verde tentando fugir para MS

A Polícia Judiciária Civil efetuou a prisão do autor de um estupro ocorrido em Várzea Grande, preso na tarde sexta-feira (16.08), após investigações ininterruptas da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, Criança e Idoso de Várzea Grande para apurar o caso. A ação para prisão do suspeito foi realizada pela Delegacia de Polícia de Campo Verde.

Leandro Porfírio dos Santos foi autuado em flagrante pelo crime de estupro, após ser surpreendido pelos policiais civis de Campo Verde, dentro de um ônibus interestadual, tentando fugiu para o estado de Mato Grosso do Sul. Depois de preso o suspeito assumiu as acusações. 

O crime aconteceu na noite de quinta-feira (15.08), quando uma jovem de 22 anos foi atacada pelo criminoso ao sair da igreja, no bairro 24 de dezembro, em Várzea Grande.

Ao serem acionados para atender a ocorrência de estupro, os policiais civis da DDM-VG iniciaram as diligências como objetivo de identificar e prender o autor.

Durante o trabalho de investigação foi possível levantar a qualificação do suspeito, bem como em continuidade,  foi descoberto que na tentativa de fuga Leandro Porfírio havia embarcado na Rodoviária de Cuiabá, em um ônibus como destino a cidade de Campo Grande (MS). 

De posse das informações, a DDM-VG solicitou apoio a Delegacia de Campo Verde para efetivar a prisão do suspeito, em razão do referido ônibus ter como passagem de trajeto a cidade de Campo Verde. 

Ato contínuo a equipe de Campo Verde passou a monitorar a região, logrando êxito em parar o referido veículo, e abordar Leandro Porfírio no interior do ônibus, o qual foi imediatamente detido. 

Ao ser conduzido de volta à Várzea Grande, a mesmo foi levado para DDM-VG onde foi ouvido pelo delegado Claudio Alvares Sant’Ana. Em interrogatório, o preso confessou o crime alegando que havia usado crack e tinha perdido o controle ao avistar a vítima em via pública. 

Em seguida Leandro Porfírio dos Santos foi autuado em flagrante por estupro, e posteriormente colocado à disposição da Justiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *