MT Gás fomenta abertura de empresas convertedoras de veículos

A ação faz parte do programa de incentivo do consumo de gás natural em Mato Grosso

Após a qualificação da primeira turma de profissionais especializados na instalação do conversor em veículos para uso de Gás Natural Veicular (GNV), uma nova empresa já abriu as portas para oferecer o serviço. Atualmente, duas empresas estão em operação para instalar o ‘kit gás’ na frota cuiabana, e mais uma começará as atividades em breve.

A ação faz parte do programa de incentivo do consumo de gás natural no estado, que está sendo implantando pela Companhia Mato-grossense de Gás (MTGÁS). A empresa buscou novos investidores para a área de conversão de veículos, com o compromisso de auxiliar na capacitação de mão de obra.

Conforme o presidente da MT Gás, Rafael Reis, com a disponibilidade do gás natural no mercado desde o ano passado como uma opção limpa e mais atrativa financeiramente para os condutores, é necessário incentivar a abertura de novas empresas que possam atender a demanda de instalação do “kit gás”.

“Estamos fazendo parcerias para facilitar para que o cidadão possa ter acesso ao primeiro passo para utilizar o GNV, que é a instalação do conversor. O mercado precisa de mais profissionais qualificados, atuando em empresas credenciadas, e estamos propiciando isso em Mato Grosso”, explica.

A empresa Cidade Verde Convertedora GNV, localizada na Av. Miguel Sutil, e Wilson Vargas Serviços, na Avenida General Mello, estão atendendo aos consumidores. Conforme o proprietário da Cidade Verde Convertedora, Nilson Teixeira, o setor tem grande demanda, que ele observa nos mais de 25 anos atuando no setor de combustíveis em Cuiabá.

“Fizemos parte desta iniciativa para capacitar os profissionais, e já estamos ofertando os serviços de conversão do kit gás de quinta geração, que exige a instalação credenciada e capacitada para garantir a segurança, o melhor uso do combustível, e dentro das especificações técnicas exigidas”, afirma o empresário.

A empresa Cidade Verde estima a capacidade de converter até 10 carros ao dia, o que representa 1800 novos veículos na frota que utiliza o GNV ao ano. O preço médio de conversão de um veículo é em torno de R$ 4 mil a R$ 5 mil. O Instituto de Pesos e Medidas (Ipem-MT) foi responsável pelo registro do empreendimento.

Já com conhecimento técnico prévio em mecânica, a primeira turma de 16 profissionais se formou no início de setembro, por meio de uma parceria entre a Companhia Mato-grossense de Gás (MT GÁS), e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Senai). 

O gerente da unidade do Senai de Várzea Grande, Helton Luiz Reis, explica que esta foi a primeira de 10 turmas, que devem formar cerca de 160 profissionais para atuar no setor. “O objetivo do Senai é este, capacitar e formar profissionais para atender a indústria”, avalia.

“A competitividade faz o preço, então a gente entende que quanto mais empresas, maior a concorrência, e quem sai ganhando é o consumidor final. Por isso a importância deste suporte para que os interessados em abrir uma convertedora possam ter profissionais qualificados e que possam ser os responsáveis técnicos, de acordo com as exigências legais”.

Além dos cursos oferecidos, a MT Gás buscou também parcerias com a iniciativa privada para a redução no valor pago pela inspeção veicular, que caiu em Mato Grosso para R$ 350, independente se for a inspeção de rotina ou a primeira. Antes, o valor praticado era de R$ 450 para a inspeção periódica do GNV, e R$ 550 para a primeira inspeção de instalação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *