ORATÓRIA: Olhe para os seus ouvintes ao falar em público

Mantenha a conexão com o seu público por intermédio do olhar.

Falar em público não é algo simples e de fácil aprendizado. O discurso envolve muito cuidado e diversos detalhes, tais como: informações, técnicas, gesticulação, vocábulo, dentre outras técnicas indispensáveis para o orador.

Em minha carreira como palestrante, tenho observado diversos oradores falharem na utilização de uma técnica de primordial importância, que é o olhar. Essa técnica nos ajuda a manter aderência com o público, agora, caso não seja utilizada, perde-se a conexão, e consequentemente a atenção dos ouvintes.

A comunicação visual é extremamente importante para você receber o chamado feedback dos participantes e ainda valorizar a presença dos ouvintes. Ao olhar para o público você vai perceber o comportamento deles e a mensagem que eles estão te passando. Isso serve para você fazer adaptações e ter “jogo de cintura” para ajustar a sua fala e a forma de falar.

Algumas dicas são fundamentais para evitarmos que esses erros básicos aconteçam:

Divida o auditório, de forma mental, em um quadrante.O público quer ser prestigiado com o seu olhar, que nada mais é do que a atenção, por isso é interessante fazermos uma divisão mental do espaço, a princípio, sugiro dividir em quatro partes. Caso o local da palestra seja grande você poderá dividir o espaço em mais partes. Após fazer essa divisão na sua imaginação, você estará distribuindo o seu olhar de maneira igualitária, para as partes, durante toda a sua palestra.

Olhe para cada quadro. Como o nosso quadrante já está disposto, você deve olhar para eles. Vamos supor que eu tenha um espaço a qual dividi em quatro partes ou quadros. Vou começar olhando para as pessoas que estão no quadro um, depois vou olhar para o quadro dois e assim sucessivamente até chegar ao quarto quadro.

Faça uma variação do seu olhar para cada parte. Agora vou distribuir os meus olhares de formar organizada e pensada. Começo olhando para os indivíduos que estão no quadro três, percorro para o quadro um, depois olho para o quadro quatro, e por fim para o quadro dois. Fazer essa variação do olhar corrobora para que você se mantenha ligado como o público.

Olhe em linha reta. O olhar em linha reta é uma alternativa relevante, visto que a sua cabeça ficará firme e ereta, além de te proporcionar um descanso do pescoço. Porém, não faça isso por longo tempo, do contrário, vai passar a impressão que você está “plantado” naquele lugar.

Olhe o tempo que for necessário e de forma razoável.Como estamos falando de um quadrante e que temos que olhar para cada parte, quer de forma sequencial ou variando os olhares nos quadros, a pergunta que surge é:  Qual é o tempo ideal para olhar para cada quadro? Penso que não existe um padrão de tempo, contudo, indico que você olhe o tempo que sentir a necessidade de manter a ligação com as pessoas. Mas atenção: Não exagere por bastante tempo com os seus olhares para apenas um ou dois quadros. Caso ocorra isso, as pessoas de outros quadros poderão se perguntar se o palestrante está compartilhando o conteúdo exclusivamente para algumas pessoas, e isso pode manchar a imagem do discursador. Nas minhas palestras costumo olhar, em média, aproximadamente de 10 a 17 segundo para cada quadro, com a ressalva de que, caso haja alguma pergunta, é óbvio que o tempo será maior.

Não se apaixone por alguns indivíduos do seu público.Vimos que não podemos demorar muito olhando apenas para um ou dois quadros. Indo de maneira mais profunda, a situação piora quando você escolhe poucos indivíduos para fixar o olhar, além de constranger as pessoas que estão “sendo perseguidas” por seus olhares, vai gerar incômodo para os demais participantes do evento, conforme já explicado.

Cuidado ao olhar dentro dos olhos das pessoas. Essa dica tem que ser bem organizada na mente do palestrante, pois ao olhar dentro dos olhos de outra pessoa, pode lhe causar desconcentração, ainda mais, perder o raciocínio. Não estou dizendo que você não deva olhar em alguns momentos da palestra, mas que, ao olhar, esteja bem concentrado para não perder a sequência da sua fala.

Não olhe muito rápido. Ao fazer isso você não conseguirá enxergar as pessoas. Isso também é relevante, visto que a minha intenção é que você olhe à vontade, de forma organizada e proporcional. Contudo, ao olhar de forma rápida e corrida, aposto que você vai ficar zonzo, e quem possui labirintite, pode até cair no palco.

Cuidado com o relógio. Em alguns salões existem relógios fixados na parede, normalmente no fundo do local ou na lateral. Fixar o olhar para o relógio constantemente é péssimo, vez que, você vai perder a vinculação com o seu público, e também passará uma sensação aos seus ouvintes de que você está com pressa e que precisa terminar a palestra.

Olhar apenas em cima da cabeça dos indivíduos não é uma boa alternativa. Creio que você até pode se utilizar disso como uma variação do olhar, mas jamais ficar o tempo todo da palestra olhando unicamente para cima da cabeça das pessoas. Ao agir assim, pode ser que alguns participantes pensem que o palestrante é vesgo. Tenho a convicção de que o público vai perceber essa tática e sem demora você perderá a conexão.

Olhe com todo o corpo. Olhar sem girar o tronco e o corpo como um todo, dá a percepção de que você está olhando meio desconfiado para os ouvintes. Valorize os seus ouvintes, olhando com todo o seu corpo e na mesma sintonia. Reinaldo Polito, nos ensina que: “Olhe com o corpo todo para os ouvintes, isto é, ao olhar para as pessoas que estão sentadas à esquerda, gire o tronco e a cabeça para esse lado da plateia, deixando que todos percebam que você está com os olhos voltados nessa direção”.

Olhe para conectar com os que estão conversando. Essa é uma técnica que utilizo, pois quando você olha para as pessoas que estão cochichando ou conversando, elas vão perceber o seu incômodo e vão contribuir com o silêncio. Isso é considerável para manter o silêncio e a ordem na execução de sua palestra. Ignorar as pessoas barulhentas, pode ser ruim, pois elas entenderão que não têm problemas fazer o barulho, e vão continuar produzindo sons inadequados.

Olhar para o público é obrigatório se quisermos proporcionar aos nossos ouvintes uma ligação maior e fazer com que eles entrem na mensagem. No início pode ser um pouco difícil ficar olhando para as pessoas, da forma apresentada, entretanto, treinando, e com o tempo, logo conseguirá utilizar essa técnica e você oferecerá mais glamour a sua oratória.

Francisney Liberato Batista Siqueira é Secretário de Controle Externo, Auditor Público Externo do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso, Palestrante Nacional, Professor, Coach, Mentor, Advogado e Contador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *