Pantanal não terá água para combater os incêndios florestais na maior seca da história

Eles serão fundamentais e estratégicos para garantir água para o combate aos incêndios

“O grande problema no pantanal, neste ano, não serão só os incêndios, mas a falta de água para combater as chamas”. O alerta foi feito nesta segunda-feira, 14, pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT), e se baseia em análises feitas pelo Cimaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais) e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, ambos ligados ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Nesta segunda-feira, Fagundes, que presidiu a Comissão Temporária Externa do Senado, designada para acompanhar das ações de enfrentamento aos incêndios no bioma, se reuniu com o governador Mauro Mendes. Ele pediu, especialmente, que o Estado assuma a instalação de poços artesianos ao longo da Transpantaneira.

Segundo o senador, todo o planejamento de prevenção e combate aos incêndios no pantanal, neste ano, está comprometido se não for garantido o fornecimento de água para caminhões-pipa, viaturas do Corpo de Bombeiro e da Força Nacional e os brigadistas. “De nada vai adiantar caminhões, helicópteros, aviões se não tiver de onde pegar a agua para atacar os incêndios” – frisou.

No ano passado, o problema de falta de água já dificultou as ações de combate aos incêndios, já que as principais fontes são os rios Bento Gomes, Pixaim e Cuiabá, que ficam muito distantes um do outro.

Wellington Fagundes ressaltou que os poços são fundamentais e estratégicos para qualquer planejamento para este período de seca no pantanal. Os projetos para construção de poços artesianos foram elaborados pela Associação Mato-grossense dos Municípios com base em prospecções técnicas do lençol freático.

“Infelizmente, as previsões indicam que a seca deste ano deve ser ainda mais severa que a do ano passado. Então, todo o planejamento feito para prevenção e combate deve levar em consideração a garantia de que haverá água para apagar as chamas”, diz.

Além de apresentar os projetos dos poços artesianos ao governador, o senador já viabilizou a aquisição, pela Metamat, de uma perfuratriz para a perfuração dos poços. A aquisição está em fase de licitação.

Outra ação do senador é pela destinação de R$ 200 milhões da Sudeco (Secretaria de Desenvolvimento do Centro-Oeste) para atender proprietários rurais da região do pantanal que foram afetados pelos incêndios. Os recursos são do Fundo do Centro-Oeste e serão geridos pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *