PCC brasileiro está ligado à explosão na prisão na Bolívia

Uma pessoa identificada como Oscar, pertencente ao PCC, visitou um preso da prisão de Beniano e introduziu o explosivo escondido em algumas salteñas

Na segunda-feira à noite, uma explosão na prisão de Mocoví (Trinidad) causou a morte de uma pessoa e deixou mais de vinte feridos, depois que a polícia iniciou as investigações e descobriu que o explosivo foi introduzido na prisão por cidadão brasileiro vinculado ao Primeiro Comando de Capital (PCC).

Um policial de Beni, em contato com o DEVER, informou que após as investigações foi determinado que o explosivo entrava na prisão de Beniana escondido em alimentos (salteñas, batatas fritas e refrigerantes).

“O recluso Lucas Rosendy Saravia (brasileiro) recebeu um pacote com duas salteñas, um refrigerante e batatas fritas. Dentro da embalagem em questão, o dispositivo explosivo recebido por Oscar, uma pessoa pertencente à organização criminosa do PCC , seria habilmente camuflado ” , explicou o agente.

Segundo o relatório, o dispositivo explosivo foi colocado por Lucas Rosendy dentro de alguns móveis que outro preso (Mauricio Rojas Soliz) recebeu no domingo passado. Como resultado da explosão, 27 presos ficaram feridos e uma pessoa morreu. 

Presume-se que o incidente teria resultado de uma briga entre presos por uma luta pelo poder ; No entanto, esta informação ainda não foi confirmada pela Polícia.

Fonte: El Deber

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *