PONTES E LACERDA: Polícia Civil cumpre mandado de prisão contra suspeito pelo estupro e morte de idosa

Suspeito possui diversas tatuagens pelo corpo e foi reconhecido pelo marido da vítima. FOTO: PMMT

A Polícia Civil de Pontes e Lacerda (448 km a oeste de Cuiabá) cumpriu nesta quinta-feira (03.12) mandado de prisão contra o suspeito do estupro seguido de morte de uma idosa de 65 anos, ocorrido no último domingo na cidade.

A vítima sofreu o abuso sexual e depois foi morta em sua residência, no bairro São Cristóvão. O crime foi presenciado pelo esposo dela, que tem problemas de saúde em decorrência de um acidente vascular, e ficou em estado de choque. O suspeito invadiu a casa da vítima, cometeu os crimes e depois ainda revirou a residência, fazendo uso de drogas no local.

Um vizinho da vítima foi procurado por um familiar, que estava tentando contato com a mãe e não conseguia. Ao chegar na casa, o vizinho constatou que o portão estava aberto e a porta somente encostada e ao entrar na casa viu a vítima deitada em uma cama, aparentemente em óbito, e o marido dela passando mal. O Corpo de Bombeiros foi acionado e constatou a morte da idosa. O marido dela foi encaminhado a um hospital de Pontes e Lacerda em estado de choque.

Os policiais localizaram resíduos de droga nos fundos da residência, além de diversas manchas de sangue pela casa.
Após a Delegacia da Polícia Civil receber a comunicação do fato, as equipes realizaram diversas diligências para coletar informações sobre o crime e localizar o suspeito dos crimes. Na segunda-feira (30.11), ele foi localizado pela Polícia Militar e preso em flagrante por tráfico de drogas.

Com base nas informações coletadas, a delegada Bruna Caroline Laet representou à Justiça pela prisão do suspeito, que foi cumprida nesta quinta-feira no Centro de Detenção de Pontes e Lacerda, onde já estava recolhido pelo crime de tráfico de drogas pelo qual foi detido em flagrante.

O suspeito foi autuado pelos crimes de estupro e homicídio qualificado (por asfixia e para assegurar a execução, ocultação e impunidade de outro crime).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *