PPA Unimed Cuiabá reforça alerta sobre cesáreas desnecessárias no fim de ano

Visando a sensibilização de gestantes, o Programa Parto Adequado (PPA) da Unimed Cuiabá reforça o alerta e aponta os riscos que envolvem as cesarianas desnecessárias, especialmente em períodos festivos. A Cooperativa reforça a necessidade do respeito ao tempo do bebê para que possa vir ao mundo de maneira natural e tranquila, sendo imprescindível o diálogo entre as gestantes e o médico pré-natalista na escolha do parto mais adequado.

O PPA é uma ação coordenada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), Hospital Israelita Albert Einstein e Institute for Healthcare Improvement (IHI), que tem por finalidade promover a redução de cesáreas antecipadas e desnecessárias. O reforço do alerta se faz necessário nesta época do ano devido ao aumento dos casos.

“Os meses de dezembro a fevereiro são períodos com aumento considerável na incidência de cesáreas desnecessárias agendadas em função das diversas datas comemorativas. A Unimed Cuiabá, por meio do Comitê Educativo, promove campanhas educativas contínuas para prevenir as gestantes, mobilizar os profissionais de saúde e alertar a sociedade sobre os riscos dessa intervenção desnecessária”, salienta a Dra. Fernanda Monteiro Siqueira Juveniz, médica coordenadora no Comitê Educativo da Unimed Cuiabá.

A obstetra coordena o PPA na Cooperativa e ressalta que é importante respeitar o tempo do bebê e da mamãe, evitando intercorrências e complicações. “Para o nascimento, não há feriado, por isso frisamos: evite o parto agendado, escolha o parto adequado à sua gestação. Converse com seu médico e trace seu plano de parto. Participe das atividades gratuitas que a Unimed Cuiabá disponibiliza às beneficiárias gestantes e fique de olho no nosso hotsite Parto Adequado e nas redes sociais. Informação é fundamental para um parto adequado e para manutenção da saúde da mãe e do bebê”.

RISCOS

Estudos científicos apontam que bebês nascidos de cesarianas apresentam riscos maiores de intercorrências respiratórias e são internados em UTI neonatal com mais frequência. Quando não tem indicação clínica, a cesariana aumenta em 120 vezes a probabilidade de problemas respiratórios para o recém-nascido e triplica o risco de morte da mãe. “Não há evidências científicas que justifiquem agendar um parto com antecedência, salvo algum risco claro para a saúde da mãe e do bebê. Por isso é importante se informar, buscar a opinião de outros profissionais, conversar com o seu médico”, destaca a coordenadora do projeto Parto Adequado Unimed Cuiabá.

Vantagens do parto vaginal

Pesquisas comprovam que a passagem pelo canal vaginal, na hora do nascimento, coloca o bebê em contato com bactérias naturalmente presentes nessa área do corpo da mulher, fortalecendo seu sistema imunológico e prevenindo o desenvolvimento de alergias e outros problemas de saúde no futuro. O trabalho de parto, ao contrário de um sofrimento para a criança, significa amadurecimento: a intensificação gradual das contrações musculares do corpo da mãe, necessárias para o bebê nascer, favorece a prontidão para o nascimento e o contato com o mundo. No processo do parto vaginal, o ritmo cardíaco, fluxo sanguíneo e maturação pulmonar do bebê são gradativamente trabalhados.

A ciência já demonstrou também que hormônios naturalmente atuantes durante o trabalho

de parto favorecem o vínculo entre mãe e bebê, o aleitamento materno e a recuperação pós-parto.

PPA

Fruto de uma Ação Civil Pública, o projeto Parto Adequado foi criado em 2015 visando a redução do percentual de cesarianas no Brasil. A ação é uma iniciativa desenvolvida pela ANS, pelo Institute for Healthcare Improvement (IHI) e pelo Hospital Albert Einstein, com apoio do Ministério da Saúde.

A Unimed Cuiabá participa da ação e vem contribuindo com a disseminação de informações, e ofertando às beneficiárias e seus bebês o cuidado e acompanhamento durante a gestação, nascimento e pós-parto. Os resultados positivos das intervenções da cooperativa já são sentidos, com o aumento do número de partos vaginais.

“Objetivamos instrumentalizar a população com informações e assim poder disseminar que o melhor parto é o adequado para cada caso. É o parto que respeita o tempo do bebê e proporciona todo amparo e humanização à mulher, seja por via vaginal ou cesárea. Não somos contra as cesáreas quando possuem indicação médica, e sim contra as que são feitas sem necessidade”, esclarece a coordenadora.


Fonte: Jaqueline Siqueira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *