PREVENÇÃO AO SUICÍDIO: Max Russi exige apoio financeiro e estrutural à campanha e Centro de Valorização da Vida

Em alusão ao Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, celebrado no dia 10 de setembro, o deputado apresentou indicação ao governo do estado e a Setasc, solicitando apoio financeiro e estrutural às campanhas do ‘Setembro Amarelo’ e do CVV

Nesta terça-feira (10) é comemorado o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. Um relatório liberado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) o aponta como uma das principais causas de mortalidade em todo o mundo, na frente de doenças como HIV, malária e câncer de mama, e até de guerras e homicídios. A OMS alerta, inclusive que a atenção e prevenção devem se tornar ainda maiores nos tempos da pandemia de COVID-19, que comprovadamente agravaram fatores de risco. Diante da complexidade do assunto, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Max Russi (PSB) apresentou uma indicação requerendo a urgente necessidade de apoio financeiro e estrutural às campanhas e ações do movimento “Setembro Amarelo”e do Centro de Valorização da Vida (CVV).

Na indicação enviada ao governo do estado e a Secretaria Social de Assistência e Cidadania (Setasc), Max reforçou a importância de conscientizar a população – oferecendo apoio às instituições. Disse que o atendimento de sua solicitação certamente fará com que maior número de pessoas que necessitam de ajuda sejam atendidas, acolhidas e assistidas em um momento desesperador de suas vidas, fator que poderá evitar várias tragédias.

“Todos sabem que a minha maior bandeira de trabalho é a saúde, é o social. Confio em nosso papel como cidadão. Como deputado, convido vocês para nos unir. É preciso conscientizar e levar os órgãos públicos a participar de forma financeira e estrutural das ações realizadas por estas instituições”, defendeu o parlamentar. Ele destacou que o ato de debater o assunto, participar ativamente como cidadão e dar apoio as ações das instituições – são atitudes fundamentais para conscientizar a população sobre a prevenção do suicídio, principalmente de crianças e adolescentes.

O deputado citou que desde 2014, a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM), organiza nacionalmente o “Setembro Amarelo”. Segundo a associação e o conselho, são registrados mais de 13 mil suicídios todos os anos no Brasil e mais de 01 milhão no mundo. Trata-se de uma infeliz realidade, que registra cada vez mais casos, principalmente entre os jovens. Cerca de 96,8% dos episódios de suicídio estavam relacionados a transtornos mentais. Em primeiro lugar está a depressão, seguida do transtorno bipolar. Com o objetivo de prevenir e reduzir estes números a campanha Setembro Amarelo cresceu e hoje conquistou o Brasil inteiro.

“Justamente por isso, que é necessário o apoio dos órgãos públicos, núcleos, associados e de toda a sociedade”, explicou o deputado.

Alguns fatores que podem contribuir na conscientização e prevenção ao suicídio:
Caminhadas, palestras, balões amarelos, pontos turísticos e edifícios públicos iluminados pela cor amarela, distribuição de folhetos e atendimentos em locais públicos.

Setembro Amarelo
No Brasil, o Setembro Amarelo foi criado em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). A ideia é pintar, iluminar e estampar o amarelo nas mais diversas resoluções, garantindo mais visibilidade à causa.
Busque ajuda no CVV
Você precisa de apoio emocional? O Centro de Valorização à Vida (CVV) oferece atendimento voluntário para as pessoas com pensamentos suicidas por meio do telefone 188, e também via chat, e-mail ou presencialmente. Para mais informações acesse cvv.org.br.

Fonte: Márcia Martins

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *