PROCEDIMENTOS ELETIVOS: Max reforça apoio ao Executivo para execução do Programa Mais MT Cirurgias

O deputado está otimista com a iniciativa, que pretende reduzir as demandas de procedimentos eletivos, suspensos desde março do ano passado, por causa da pandemia de Covid-19

Ao participar do lançamento do Mais MT Cirurgias do Governo do Estado, nesta quinta-feira (15), programa que busca redução no tempo de espera pelas cirurgias eletivas, não urgentes, em hospitais públicos de Mato Grosso, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Max Russi (PSB), disse que está otimista com a nova media do Executivo, que pretende reduzir as demandas de procedimentos eletivos, suspensos desde março do ano passado, em virtude das ações de combate à pandemia.

Ainda no ano passado, Max Russi havia feito o pedido para que o Executivo retomasse os procedimentos cirúrgicos, através da Indicação nº 3404/2020, solicitando a retomada de tais procedimentos, principalmente os ortopédicos, suspensos pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) desde o dia 17 de março, quando foram registrados os primeiros casos de covid-19 em Mato Grosso.

De acordo com o governador Mauro Mendes, com o início dos trabalhos do Mais MT Cirurgias, a intenção é que sejam realizadas 22,5 mil cirurgias, 69,5 mil exames de alta complexidade e 90 mil procedimentos ambulatoriais, com investimento de R$ 105 milhões.

Conforme informações do Sistema Estadual de Regulação, em março de 2021, havia 1.877 pessoas na fila de espera pelas cirurgias em questão, no estado. Ainda não há dados atualizados até julho deste ano. Existem mais de 420 tipos de cirurgias eletivas. Entre elas estão as bariátricas, oftalmológicas e ortopédicas.

“Tais procedimentos foram suspensos há alguns meses, pois os leitos e todos os aparatos médicos precisavam ser direcionados urgentemente ao tratamento de pacientes acometidos pelo coronavírus. Ocorre que, conforme veiculado pela mídia, já não há mais filas por vagas nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) e, por isso, as cirurgias devem ser retomadas imediatamente, já que muitos pacientes necessitam urgentemente desse procedimento”, expôs o parlamentar.

Fonte: Márcia Martins

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *