Projeto de Lei de autoria de Fabinho que obriga ter intérprete de libras nos eventos públicos tramita na Câmara Municipal

O presidente da Câmara Municipal de Várzea Grande, o vereador Fábio José Tardin – Fabinho (DEM) apresentou o Projeto de Lei n° 88/2019, que dispõe sobre a obrigação de ter um intérprete da Linguagem Brasileira de Sinais (Libras) nos eventos públicos do município.

Consta do PL que as sessões legislativas, inaugurações de obras, assinaturas de obras de serviços, entre outros eventos devem ser acessíveis para as pessoas com deficiência auditiva.

“A ausência do intérprete pode causar constrangimento para as pessoas que tem essa deficiência. Temos que incentivar, integrar e oferecer condições dessas pessoas participarem dos eventos públicos”, destaca Fabinho.

Tardin ainda lembra que a acessibilidade é um dever do Poder Público. “Iremos reconhecer os direitos significativos fundamentais para o convívio de forma igualitária na sociedade várzea-grandense”, relata o presidente. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.