PSL E DEM: Botelho avalia fusão de partidos e criação do União Brasil

Convenção em Brasília oficializou a decisão dos partidos de se fundirem em um só. Novo nome depende da aprovação do TSE

O deputado estadual Eduardo Botelho (DEM) participou da convenção partidária, em Brasília, nesta quarta-feira (06), que oficializou a decisão do Partido Social Liberal – PSL e Democratas – DEM em se fundirem em um só partido, que chamará União Brasil. Essa decisão passará pelo crivo do Tribunal Superior Eleitoral – TSE.

Hoje (07), Botelho falou à imprensa sobre o evento. Disse que foi uma reunião tranquila com aprovação quase que unânime dos estados. À exceção do Rio Grande do Sul, capitaneado pelo ministro Onyx Lorenzoni [Trabalho e Previdência do Brasil], que votou contra, pois queria o posicionamento do partido sobre a reeleição do presidente da República, Jair Bolsonaro.

“Mas, todos os demais estados foram favoráveis e foi aprovada essa fusão, pelo menos dentro do Democratas e acredito que no PSL também”, enfatizou o deputado.

Ressalta que alguns estados poderão enfrentar conflitos que terão que ser resolvidos de forma pontual. Avalia que em Mato Grosso será diferente. “O PSL já estava na base de apoio do governador Mauro Mendes. Então, praticamente não vamos ter conflito nenhum aqui no estado, somente uma junção”, destacou.

Informou que os correligionários aguardam a orientação sobre a eleição presidencial. “Evidentemente que poderá ocorrer algum conflito também, mas ainda vai ser discutido no próximo ano, se vai liberar ou deixar livre, caso o partido União Brasil não tenha candidato à Presidência, assim cada estado, cada membro fica liberado para apoiar quem quiser”, acrescentou.

UNIÃO BRASIL – Botelho também falou sobre o nome escolhido. “Preferiria manter o Democratas, que tem mais história, mais tradição, que já vem há muito tempo, mas disseram que fizeram uma pesquisa e que o nome União Brasil foi muito bem aceito pela opinião pública”, esclareceu.

Disse que as lideranças mato-grossenses devem participar da Executiva Nacional, como o governador Mauro Mendes, o senador Jayme Campos e o ex-deputado Fábio Garcia. Inclusive, Garcia é o nome defendido para presidir o União Brasil em Mato Grosso, conforme defendeu o deputado.

Após a escolha do presidente do partido em Mato Grosso, será agendada reunião ampliada com os membros dos dois partidos em Mato Grosso.

One thought on “PSL E DEM: Botelho avalia fusão de partidos e criação do União Brasil

  1. Yuri Gomes says:

    Péssima a indicação do incompetente e desleixado Fábio Garcia para presidir o UD MT. Fabinho deixou o DEM MT a DEUS dará, sem rumo. É preferível os nomes de Julio Campos, Cidinho Santos ou Dilmar Dalbosco., que valorizam os companheiros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *