‘Quem está num relacionamento abusivo, não percebe’, diz Carla Bora que denunciou namorado por agressão

‘Carla Bora’ disse que conheceu o namorado pelas redes sociais. A primeira agressão, segundo a vítima, ocorreu logo no primeiro mês de namoro.

A influencer digital Carla Marina Reis de Morais, de 26 anos, que publicou fotos de hematomas e vídeos afirmando que foi agredida pelo namorado, contou que namorava o médico, de 32 anos, há sete meses e que desde o início do relacionamento sofria agressões.

Em entrevista, ‘Carla Bora’ disse que o namorado mora em outro estado e que eles começaram a conversar pelas redes sociais. Algum tempo depois, se encontraram pela primeira vez e começaram a namorar.

“Sempre foi muito atencioso, mandava flores, fazia promessas de amores, mas isso mudou. A gente passou a morar juntos em um apartamento. Logo no início, percebi que ele ciumento, mas não imaginava chegar a esse ponto. Quem está num relacionamento abusivo, não percebe”, contou.

Influencer afirmou que foi agredida várias vezes pelo namorado — Foto: Carla Marina Reis/Arquivo pessoal / Instagram/Reprodução
Influencer afirmou que foi agredida várias vezes pelo namorado — Foto: Carla Marina Reis/Arquivo pessoal / Instagram/Reprodução

A primeira agressão, segundo a vítima, ocorreu logo no primeiro mês de namoro.

“Comecei a perceber que era um ciúme possessivo. Tinha ciúmes do meu trabalho, dos meus amigos, das roupas que eu usava.Tudo era motivo de briga. Se alguém comentasse na minha foto, ele respondia. Eu sempre apagava, pois o Instagram hoje é minha ferramenta de trabalho”, explicou.

Fotos mostram hematomas no corpo de Carla — Foto: Carla Marina Reis/Arquivo pessoal
Fotos mostram hematomas no corpo de Carla — Foto: Carla Marina Reis/Arquivo pessoal

Segundo Carla, o médico sempre prometia mudança e voltava a ser carinhoso depois das brigas. No entanto, em dezembro do ano passado e nos dias 15 e 17 deste mês, foi quando ocorreram as agressões mais graves.

“Ele me agrediu em público. Depois disso, registrei um boletim de ocorrência e solicitei medida protetiva. Ficamos separados por três semanas e voltamos a conversar pelas redes sociais. Ele falou com meus pais e pediu mais um chance”, contou.

Últimas agressões sofridas por Carla ocorreram na semana passada — Foto: Carla Marina Reis/Arquivo pessoal
Últimas agressões sofridas por Carla ocorreram na semana passada — Foto: Carla Marina Reis/Arquivo pessoal

Ao retomar o namoro, Carla afirmou que acreditou que o médico mudaria. “No início foi só amor, promessas. Resolvi tirar a medida protetiva. Foi questão de dias e tudo voltou a acontecer de novo. Aquilo já estava passando dos limites e muita gente já estava percebendo”, disse.

Na semana passada, a influencer contou que foi agredida novamente e ficaram vários hematomas pelo corpo. Ela afirmou que passou a ser perseguida pelo suspeito e resolveu denunciá-lo novamente e tornar o caso público.

“Percebi que estava passando dos limites quando ele foi até a casa dos meus pais no sítio e pediu a eles para me tirar de perto dele. Ele também deu um prazo para que eu retirasse todas as minhas coisas do apartamento. Fizemos tudo que ele pediu”, afirmou.

Suspeito mandou mensagens à vítima pedindo desculpas e foi bloqueado — Foto: Instagram/Reprodução
Suspeito mandou mensagens à vítima pedindo desculpas e foi bloqueado — Foto: Instagram/Reprodução

Depois do término, entre a semana passada e está semana, Carla recebeu mais de 100 ligações do ex-namorado. “Ele ligou várias vezes, mandou mensagens. Bloquei uns quatro números e o excluí das redes sociais. Depois que expus o caso, ele parou de me perseguir. Acredito que hoje o melhor lugar para eu ficar é ao lado do meu pai e da minha mãe” disse.

'Carla Bora' publicou foto mostrando hematomas no braço — Foto: Instagram/Reprodução
‘Carla Bora’ publicou foto mostrando hematomas no braço — Foto: Instagram/Reprodução

Nessa quinta-feira (23) um novo boletim de ocorrência contra o suspeito foi registrado por ela. Carla disse ainda que realizou exames de corpo de delito e solicitou uma nova medida protetiva.

“Apesar disso, ainda tenho medo. Medo dele fazer algo com a minha família ou tentar me prejudicar no trabalho. Mas temos que ter coragem. Muita coragem. Depois que tomei essa decisão estou me sentindo mais aliviada. Que isso sirva de alerta para qualquer mulher”, ressaltou.

A Polícia Civil informou que o caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Cuiabá.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *