Relator das contas no TCE: “O Governo de MT interrompeu uma série histórica de déficits”

Por unanimidade, Tribunal de Contas deu parecer prévio à aprovação das contas do primeiro ano da atual gestão

O conselheiro Campos Neto, do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), afirmou que o Governo de Mato Grosso “interrompeu uma série histórica de déficits financeiros”.

Campos Neto é relator das contas do Estado, referentes à 2019, primeiro ano da atual gestão. Ele deu parecer prévio à aprovação e foi seguido de forma unânime por todos os conselheiros da Corte. A aprovação final cabe à Assembleia Legislativa.

“Mato Grosso vem demonstrando bons índices de recuperação frente a graves crises registradas no passado. Já em 2019, o Governo interrompeu uma série histórica de déficits financeiros e cenários adversos”, afirmou o relator, em trecho do voto, que seguiu o parecer do Ministério Público de Contas (MPC).

De acordo com o conselheiro, o Governo de Mato Grosso demonstrou vários resultados positivos na apresentação de contas, a exemplo do alcance das metas fiscais, redução de dívidas e restos a pagar, cumprimento dos limites constitucionais e diminuição de despesas com pessoal. 

Campos Neto destacou que houve uma economia orçamentária superior a R$ 3 bilhões no primeiro ano da gestão Mauro Mendes e que pela primeira vez em quatro anos, o Governo gastou menos do que o arrecadado, com saldo positivo de R$ 870 milhões.

“Houve uma forte reversão dos resultados financeiros que ocorriam até então.  O equilíbrio financeiro, inclusive, possibilitou uma segurança maior para o combate à pandemia que teve que ser feito a partir de 2020. É possível verificar que o gestor aplicou medidas para sanar falhas da gestão anterior”, citou.

O governador Mauro Mendes registrou que o parecer prévio pela aprovação das contas mostra que a gestão traçou o caminho correto ao promover o equilíbrio fiscal, que possibilitou investir agora em centenas de obras e ações em todas as regiões de Mato Grosso.

“Consertamos o estado no primeiro ano. E através dessa recuperação das contas e do equilíbrio fiscal é que nós teremos em 2021 e 2022 anos de grandes investimentos e de grandes ações que vão impactar na qualidade de vida do cidadão e no serviço público. Devemos investir algo próximo de 15% da nossa receita corrente líquida este ano. Me sinto muito grato, pois essas ações já estão trazendo resultados para os mato-grossenses”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *