Várzea Grande terá “1º Festival Junino”

O FESTJU/VG terá concurso de quadrilha e cenário rural

Nos dias 28 e 29 de junho de 2019, a “Quadra do Ipase”, situada na avenida Arthur Bernardes, se transformará em um cenário rural, com visual inteiramente característico de festa na roça, para receber a 1ª edição do “Festival Junino de Várzea Grande” (FESTJU/VG) – com promessa de ser o maior e melhor evento temático do município.

O FESTJU/VG irá resgatar a festa na roça com cenário rural, oferecendo à população dois dias de festança com muito forró, rasqueado e quadrilha.

No local, totalmente decorado, terá uma praça de alimentação, com comidas típicas da região, além de comidas juninas, doces típicos e muita diversão.

O casamento na roça não vai faltar no Festival Junino. Os noivos vestidos a caráter, irão chegar em uma carroça e irão trocar as alianças na frente do padre e também com a presença da polícia, porque quase sempre o noivo casa à força.

A cultura e religiosidade também serão destacados no Festival. Com apoio da Secretaria Municipal de Educação, o FESTJU/VG fará um concurso de quadrilha entre as escolas da rede municipal de ensino. A escola que tiver a melhor apresentação, escolhida

por jurados, receberá um prêmio a ser definido pelos organizadores do evento.

O Festival Junino contará ainda, com o apoio da Câmara de Vereadores de Várzea Grande, que por meio do presidente, vereador Fábio Tardim (DEM), irá instalar no local um gabinete itinerante para atender as reivindicações da população.

Santos homenageados – A Feira também, irá homenagear os três santos: Santo Antônio, São João e São Pedro, resgatando a cultura das festas juninas.

Santo Antônio é conhecido por ser casamenteiro. É a ele que moças solteiras recorrem para achar um noivo. Mas também é conhecido por ajudar a encontrar objetos perdidos e por ser protetor dos soldados e dos comerciantes varejistas. Já o São João é conhecido por ser festeiro. Uma lenda muito comum relacionada ao São João é que ele adormece no dia do seu aniversário pois, se estivesse acordado, não resistiria aos festejos e desceria à Terra, podendo se queimar na fogueira. Esse é um dos motivos dos fogos de artifício, justamente para acordá-lo.

Outro santo festejado em junho, no dia 29, é São Pedro, um homem de origem humilde, apóstolo de Cristo e fundador e primeiro Papa da Igreja Católica. Ele é considerado protetor dos pescadores e das viúvas. Segundo a tradição católica, depois de morrer, São Pedro foi nomeado chaveiro do céu, ou seja, para alguém entrar lá, o santo tem de abrir as portas. Também lhe é atribuída a responsabilidade de fazer chover. Por isso dizemos às crianças que quando está aquele aguaceiro, com trovão e tudo, é porque São Pedro está lavando o céu e mudando os móveis de lugar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *